Desempenho exportador das carnes na primeira quinzena

por Marina

Como geralmente acontece no mesmo período, as exportações de carnes da segunda semana de dezembro (8 a 14, cinco dias úteis) sofreram redução em relação à semana inicial do mês. Desta vez, porém, a redução apresentou índices pouco significativos. Tanto que – considerados os últimos 13 meses – a receita cambial acumulada no mês ficou aquém, apenas, da registrada em novembro passado. E por diferença mínima: 4%.

Isso, note-se, pela média diária. Porque, se considerado que dezembro corrente tem um dia útil a mais que o mês anterior e o mesmo mês do ano passado, o resultado negativo sofre inversão.

Mas o desempenho alvissareiro do final de 2019 é mais bem visualizado ao se projetar o embarcado nesses 10 primeiros dias úteis para os 21 dias úteis de dezembro. Então, tem-se o seguinte panorama:

- Carne suína: embarques próximos de 65 mil toneladas, resultado que irá significar aumentos de 12% e 35% sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês de 2018;

- Carne de frango: perto de 370 mil toneladas que, se alcançadas, significarão aumento mensal e anual de 19,5% e 13%;

- Carne bovina: volume não muito distante das 133 mil toneladas – cerca de 5% a mais que em dezembro de 2018, mas queda próxima de 15% em relação a novembro passado, mês em que o total de carne in natura exportada ultrapassou as 155 mil toneladas, segundo maior volume da história do setor.

O período de Festas deve ocasionar desaceleração do ritmo atual. Ainda assim, o presente andamento sinaliza um dos melhores Natais para a exportação de carnes. 




Fonte: Agrolink