Milho moído pode alimentar melhor os porcos

por Marina

Os resultados de uma nova pesquisa na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, indicam que os produtores podem reduzir os custos de alimentação se o milho amarelo, um alimento básico da dieta suína nos Estados Unidos, for moído para um tamanho menor e mais fino. O menor tamanho de partícula permite que os porcos obtenham mais energia do milho, o que significa que os produtores podem reduzir a quantidade de gordura adicionada às dietas. 

Hans H. Stein, professor de ciências animais da Universidade, e seu laboratório conduziram um experimento para determinar se o desempenho do crescimento e as características da carcaça diferiam entre porcos alimentados com dietas com a mesma quantidade de energia, mas mles continham milho moído em diferentes níveis. As recomendações atuais da indústria exigem que o milho fornecido aos porcos seja moído com um tamanho de partícula de cerca de 650 mícrons. 

"Quando o milho é moído para partículas menores, os porcos podem obter mais energia porque o aumento da área superficial significa que as enzimas digestivas têm mais acesso aos nutrientes do milho, resultando em uma maior digestibilidade do amido" disse Stein. “Portanto, você pode reduzir a quantidade de gordura adicionada às dietas sem perda de energia metabolizável se usar milho moído mais fino. Neste estudo, testamos a hipótese de que a gordura adicionada pode ser removida de dietas que contêm milho moído finamente, sem afetar o desempenho do crescimento e as características de alojamento dos porcos”, completa. 

Os pesquisadores alimentaram dietas de porcos em crescimento e finais contendo milho moído até 865, 677, 485 e 339 mícrons. As dietas foram formuladas para conter a mesma quantidade de energia metabolizável, variando a quantidade de gordura adicionada. 




Fonte: Agrolink