UE espera aumento do consumo, produção e exportação de azeite

por Marina

A União Europeia (UE) espera que o consumo de azeite aumente nos países não produtores e que a produção entre seus membros aumente constantemente cerca de 1,1% ou 400.000 toneladas na próxima década, de acordo com o relatório de perspectivas agrícolas para 2019-2030.

O aumento da produção foi atribuído à mudança de olivais tradicionais para super intensivos na Península Ibérica, bem como à modernização dos sistemas de irrigação e à melhoria das condições agronômicas das árvores, disse o Olive Oil Times em 26 de dezembro.

A maior parte do crescimento ocorreria em Portugal, que poderia se tornar o terceiro maior produtor mundial de azeite em 2030.

O relatório do Outlook, publicado em dezembro, disse que a mudança de hábitos alimentares e a preocupação das gerações mais jovens com a saúde e o meio ambiente foram duas das razões por trás do crescimento esperado do consumo.

No geral, o consumo de azeite nos países da UE não produtores deveria aumentar em oito pontos percentuais. Os países não produtores representariam 32% do consumo total no bloco comercial.

"Juntamente com o aumento do consumo, a UE também antecipa que as exportações para o resto do mundo aumentarão 3,3% / ano entre 2019 e 2030", escreveu o Olive Oil Times .

A perspectiva otimista era apesar da incerteza das futuras relações com o Reino Unido, um dos maiores mercados de azeite da UE, que deveria começar a deixar a UE em 31 de janeiro.

Houve também complicações com as relações com os EUA, que estavam analisando se aumentariam as tarifas sobre as importações de azeite espanholas ou aplicariam novas tarifas sobre outras importações de azeite da UE, como resultado de uma decisão da Organização Mundial do Comércio em favor dos EUA. Subsídios da UE à empresa aeroespacial europeia Airbus.




Fonte: OFI Magazine