Soja tem novo dia de baixas nesta feira em Chicago, ainda pressionada pelo Coronavírus

por Marina

Os preços da soja continuam operando em baixa na Bolsa de Chicago nesta terça-feira (28). Os futuros da oleaginosa, por volta de 8h50 (horário de Brasília), perdiam entre 7,50 e 8 pontos nos principais contratos, levando o março a US$ 8,89 e o maio a US$ 9,03 por bushel. 

O mercado, que já vinha pressionado pela ausência da demanda da China nos EUA, agora sente o peso ainda do alastramento do coronavírus, que impacta todo o mercado financeiro internacional. O número de mortos subiu para 106 e o de casos confirmados passa de 4500. 

"Os traders estão tentando avaliar como o contágio coronavírus afetará as economias em todo o mundo. Se continuarmos vendo novos casos surgindo nos EUA, é provável que os mercados não lidem com essas notícias de forma muito favorável", disse, em nota, Al Kluis, consultor internacional da Kluis Advisors. 

A oleaginosa é pressionada ainda pela chegada da nova oferta da América do Sul, com a colheita brasileira evoluindo. Segundo número da AgRural, os trabalhos de campo já foram concluídos em 4,2% da área. A projeção da consultoria é de uma safra de 123,9 milhões de toneladas. 

"Os preços da soja estão se aproximando das mínimas registradas no início de dezembro. Os indicadores se aproximam dos mesmos níveis observados quando esse nível mínimo foi atingido. Qualquer pressão nos mercados externos pode manter os altistas às margens do mercado", diz. 





Fonte: Noticias Agrícolas