Exportações brasileiras para a China caem meio ao surto do novo Coronavirus

por Marina
Os impactos do novo coronavírus na China já começam a ser sentidos nas exportações brasileiras. Apenas em janeiro, houve um déficit de US$ 1,57 bilhão nas exportações para os chineses após superávits nos últimos anos no mês, segundo o Indicador do Comércio Exterior (Icomex) da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Segundo o órgão, houve um recuo de 2,5% no volume exportado e de 6,4% nos preços. Por produto, as maiores quedas foram registradas na soja e petróleo. No caso das importações, a variação em volume foi positiva (3,4%), mas os preços caíram 3,8%. O gigante asiático é o maior comprador dos produtos brasileiros.

"Um fato novo é a epidemia do coronavírus na China. Projeções do crescimento chinês este ano sob o efeito dessa epidemia variam de 5% a 6%. O coronavírus, junto com os efeitos do acordo entre China e Estados Unidos, aponta uma queda nos preços das commodities para os próximos meses, e de recuo do volume importado pela China", disse a FGV.

A balança comercial com os Estados Unidos também foi deficitária (US$ 847 milhões) com queda nas exportações de 28,8% em valor e de 23,2%, em volume e 7,3% nos preços. Nas importações foi registrada uma variação positiva em valor (+8,7%), volume (+8,4%) e preços (+0,4%).





Fonte: DATAGRO