CCC pede ação para resolver disputa comercial de canola na China

por Marina

O Conselho de Canola do Canadá (CCC) solicitou intervenção federal para resolver a disputa comercial do país com a China sobre a exportação de canola, informou o World Grain em 28 de fevereiro.

Em março de 2019, a China começou a bloquear as importações canadenses de canola, alegando não conformidade com seus requisitos fitossanitários.

Ao mesmo tempo, a Agriculture and Agro-Food Canada (AAFC) observou que a China havia reforçado suas medidas de inspeção em todas as remessas canadenses de sementes de canola.

O CCC está exigindo um foco contínuo na restauração do acesso ao mercado aberto à China, diversificação no exterior por meio do aprimoramento do acesso aos mercados asiáticos e diversificação no Canadá, aumentando o uso de biocombustíveis.

"O setor de canola está sendo alvo da China", disse Jim Everson, presidente da CCC da World Grain. "Os agricultores e a indústria da qual fazem parte não podem continuar a suportar o impacto de algo totalmente fora de seu controle."

De acordo com o CCC, as exportações de sementes de canola para a China caíram aproximadamente 70% em 2019 devido a interrupções no comércio, resultando em uma estimativa de C $ 1 bilhão (US $ 747 milhões) em perda de receita com canola.

Antes do início da disputa, a China representava aproximadamente 40% de todas as exportações canadenses de sementes, óleo e farelo de canola.

Embora reconheça que o governo federal estava comprometido em envolver as autoridades chinesas e resolver a disputa, Everson disse que as ações para apoiar a diversificação do mercado não se concretizaram.

"Apesar de dezenas de reuniões com o governo, apenas ações simbólicas foram tomadas", acrescentou. "É preciso fazer mais para apoiar a diversificação."

O CCC, que representa produtores de canola, processadores, empresas de ciências da vida e exportadores, também está pedindo ao governo que aumente o conteúdo de biocombustíveis no diesel, o que apoiaria o setor de canola e reduziria as emissões de efeito estufa.




Fonte: OFI Magazine