fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Biodiesel: Ubrabio defende que estratégia de agregação de valor à indústria nacional

por Marina
A necessidade de o Brasil implantar uma estratégia que resulte em uma maior agregação de valor à indústria nacional, além de assegurar um cenário de maior previsibilidade aos produtores de biodiesel. Essas foram algumas das questões destacadas pelo presidente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), Juan Diego Ferrés, ao participar da abertura da primeira edição da Biodiesel Week. Promovido pela Ubrabio e a Embrapa Agroenergia, o ciclo de webinars teve início na última segunda-feira (10), dia internacional do Biodiesel.

Mediada pelo diretor superintendente da Ubrabio, Donizete Tokarski, a sessão de abertura contou, também, com as participações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; do diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Dirceu Amorelli; dos deputados federais Jerônimo Goergen (PP/RS), Arnaldo Jardim (Cidadania/SP) e Enrico Misasi (PV/SP); e do chefe-geral da Embrapa Agroenergia, Alexandre Alonso.

Em sua participação, o presidente da Ubrabio defendeu a implementação de uma estratégia de agregação de valor à indústria nacional. Juan Diego Ferrés fez um apelo ao presidente da Câmara dos Deputados no sentido de aproveitar a Reforma Tributária para corrigir distorções na tributação nas exportações brasileiras.



No caso específico da indústria do biodiesel, esse cenário acaba estimulando a exportação da soja, principal matéria-prima do biocombustível, diminuindo o volume que permanece no Brasil para ser utilizado no processamento do biodiesel.

“Nós não temos, na estrutura tributária brasileira, com o seu emaranhado de impostos desordenados, uma política adequada para agregação de valor. Essa estrutura tributária contamina as cadeias de valor, ao beneficiar as matérias-primas nacionais, no momento da sua exportação. Desta forma, ela não é competitiva com valor agregado. Isso faz com que as matérias-primas sejam exportadas a cada dia de forma menos industrializada”, destacou Juan Diego Ferrés, que participou da formulação do programa do uso do biodiesel no Brasil.

Ao falar aos participantes, o presidente da Câmara dos Deputados destacou a importância do biodiesel para o desenvolvimento sustentável do Brasil. Rodrigo Maia afirmou que o sistema tributário tem efeito cumulativo e disse que a Câmara está empenhada em discutir a questão.

“A Reforma Tributária pretende organizar melhor o sistema tributário e as cadeias de produtividade no Brasil”, explicou Rodrigo Maia, que propôs a realização de uma reunião de trabalho para discutir melhor a questão.

O presidente da Ubrabio destacou, também, a importância de o governo trabalhar para criar um cenário de maior previsibilidade para os produtores de biodiesel. Juan Diego Ferrés disse isso ao se referir ao grande volume de soja destinado à exportação (cerca de 80% da produção), em detrimento da permanência dos grãos no Brasil para serem utilizados como insumos da indústria do biodiesel.

Em sua participação inicial no evento, o presidente da Ubrabio fez questão de pontuar a importância da indústria brasileira do biodiesel que produz, atualmente, cerca de 650 mil m3 de biodiesel por mês, o que equivale a 7,8 milhões de m3 por ano. Segundo Juan Diego Ferrés, o segmento leva investimentos para todas as regiões do país, gera aproximadamente 500 mil empregos diretos e indiretos, e envolve cerca de 100 mil agricultores familiares, que recebem apoio técnico e de crédito.


Fonte: DATAGRO

LEIA TAMBÉM: