fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Desempenho exportador das carnes sofre desaceleração em setembro

por Marina

Comparativamente a meses anteriores, as exportações de carnes in natura sofreram alguma desaceleração em setembro. Em agosto, por exemplo, aumentaram praticamente 15% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Já no mês passado a variação anual foi de apenas 1,66%.

A maior atuação para esse baixo desempenho vem da carne de frango que, mais uma vez, sofreu redução de volume (de 4,5%) em relação ao mesmo mês de 2019. Mas a carne bovina também contribuiu para a desaceleração, pois, no mês, seus embarques perderam o ritmo anterior, aumentando menos de 3%. Assim, somente a carne suína permaneceu na mesma boa marcha, pois seus embarques em setembro aumentaram quase 36%.

Continua depois do formulário



Em termos de preço, nenhuma das três carnes se salvou, pois todas obtiveram preço médio inferior ao de setembro de 2019. Mas, novamente, as maiores perdas (16,61% a menos) recaíram sobre a carne de frango, o preço da carne bovina recuando quase 3% e o da suína permanecendo praticamente estável (queda de 0,26%).

Com tais desempenhos, apenas a carne suína obteve aumento (de quase 35,5%) na receita cambial. A da carne bovina sofreu ligeiro recuo (de apenas 0,09%) e a da carne de frango enfrentou queda superior a 20%. Em consequência, a receita cambial das três carnes, considerado exclusivamente o produto in natura, acabou registrando queda superior a 5%.


Fonte: Notícias Agrícolas

LEIA TAMBÉM: