fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Demanda de milho cai no Brasil e na Argentina

por Marina

A demanda está caindo por milho no Brasil e na Argentina e se concentrando nos Estados Unidos e Ucrânia, segundo afirmou a TF Agroeconômica. “No mercado físico, os prêmios sul-americanos para embarque no mês atual continuaram a cair em meio à fraca demanda”, comenta.

“No Brasil, essa queda implicou uma redução de 7 c/bu para ofertas de dezembro, que chegaram a 188 c/bu sobre os futuros de dezembro, com lances caindo 10 c/bu para 165 c/bu. E na Argentina as ofertas caíram 10 c/bu para 150 c/bu sobre os futuros de dezembro para embarque de dezembro sem ofertas à vista. Mas nos EUA, sinais de mais compras da China e de outros países asiáticos levaram os exportadores a elevar as ofertas para janeiro em 10 c/bu para 155 c/bu sobre os futuros de março para embarque do Golfo, e em 5 c/bu para embarque na primeira quinzena de fevereiro”, completa.

Continua depois do formulário



Enquanto na PNW, as ofertas para março foram estáveis em 175 c/bu sobre os futuros de março com menos ofertas baixas para testar esses níveis. Mais compras privadas começaram o dia na Ásia com a compra de MFG e FLC da Coreia do Sul no total de 268.000 t de milho de origem mundial.  O preço médio pago foi de US$ 238,36/t com cargas entregues entre 30 de abril e 13 de maio. O mercado de milho da Ucrânia foi um toque mais firme na sexta-feira, com ofertas para carregamento de novembro a partir de US$ 233/t HIPP e subindo para US$ 240/t PIPP para milho com documentos chineses”, informa.

“Enquanto isso, dados oficiais mostraram que os embarques de milho caíram para 555.000 t na Ucrânia, apesar da atividade de venda mais ativa no mercado interno depois que os preços caíram no final da semana passada. Isso moveu as exportações totais de milho para 2,8 milhões de t, 39% atrás do ritmo do ano passado”, conclui.


Fonte: Agrolink

LEIA TAMBÉM: