fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Consumo de azeite deve superar a produção

por Guilherme Bezzarro

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A produção global de azeite será menor do que o consumo na temporada de 2020, informou Olive Oil Times em 27 de outubro da cobertura da agência de notícias espanhola COPE de um webinar sobre o setor.

As estimativas atuais sugerem que a produção será de cerca de 3,11 milhões de toneladas de azeite, com consumo previsto de 3,14 milhões de toneladas, disse o consultor internacional Juan Vilar , da COPE , no webinar da Andaluzia.

 Além disso, verificaram-se aumentos de preços em todas as categorias e isto mostra que embora seja necessária uma mudança de estratégia, é uma bola de oxigénio para o olival tradicional, que responde por 70% da colheita e que, sem dúvida , passou por alguns momentos difíceis ”, disse Vilar.

Vilar observou que também há um papel crescente em todo o mundo para o 'olival moderno', que ele disse agora representar 40% de todo o azeite produzido. Esses números revelaram uma 'mudança de tendência e uma realidade em constante crescimento'.



A crescente popularidade da olivicultura em cinco continentes levou a um total de 11,5 milhões de hectares dedicados às oliveiras, acrescentou ele, e esses números levaram a produção mundial a ultrapassar os 3 milhões de toneladas.

A produção mundial para a atual temporada seria 3,4% menor do que no ano passado, uma queda que ele disse se dever principalmente à produção reduzida em vários países mediterrâneos, incluindo Itália (270.000 toneladas), Grécia (240.000), Marrocos (140.000), Tunísia (130.000) e Portugal (120.000).

Segundo Vilar, o declínio da produção em alguns países mediterrânicos deveu-se à típica alternância de estações.

A única exceção à tendência de queda foi a Espanha, onde a produção foi estimada em 1,6-1,7 milhões de toneladas, conforme relatado pela revista local Agrònoma .

A capacidade da Espanha de fortalecer sua posição se deve a fortes investimentos em uma agricultura moderna e novas tecnologias específicas, de acordo com Vilar.

“A Espanha soube combinar de forma adequada o seu conhecimento tradicional da cultura com as novas tecnologias, tornando-se o maior produtor mundial de azeites, já que mais da metade - 52% - dos azeites produzidos nos cinco continentes serão de origem espanhola,” ele disse.

O consultor explicou como os preços do azeite, que vinham caindo recentemente, agora pareciam próximos de uma mudança de tendência.

Fonte: OFI Internacional