fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Como fica o clima até o final de fevereiro?

por Guilherme Bezzarro

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 


Imagem: Pixabay



Será que as chuvas vão continuar a ocorrer em boa parte do país? E o calor?

Nas próximas duas semanas de fevereiro as oscilações Antártica e de Madden-Julian serão os principais fatores influentes do clima, aponta o meteorologista Tiago Robles, da Meteored. “Chuvas continuam a ocorrer no país, porém o padrão de difere entre as duas próximas semanas”, alerta o especialistas.

De acordo com ele, as primeiras duas semanas de fevereiro foram marcadas por uma mudança no padrão da distribuição das chuvas, que passaram a ocorrer mais no Centro-Norte do país, proporcionando eventos volumosos em boa parte do Sudeste e nos estados de Goiás e da Bahia.

“A maior passagem de sistemas frontais também contribuiu para a redução das temperaturas e para uma sensação mais amena nas regiões Sudeste e Sul em relação ao período de transição de janeiro para fevereiro, quando ocorreu uma onda de calor”, relembra.



“A combinação das influências dos fatores Modo Anular Sul (SAM) e Oscilação de Madden-Julian (MJO), os próximos 7 dias serão de chuvas mais concentradas no Centro-Norte do país, e durante a última semana passa a haver um deslocamento da precipitação para o Centro-Sul, com acréscimo das temperaturas”, prevê Robles.

Segundo o meteorologista, nesta semana, o tempo firme predomina no Centro-Sul do país, enquanto que as chuvas se concentram mais na porção entre o centro-norte do Sudeste, interior do Nordeste e na porção centro-leste da Região Norte.

“Já na última semana de fevereiro, as chuvas se concentram mais nos extremos norte e sul, o que resulta em uma irregularidade para a porção Central do país. Esse padrão, acaba por favorecer o aumento das temperaturas no Centro-Sul, devido à maior atuação do escoamento de norte/nordeste. Por outro lado, os ventos atuam com maior intensidade no leste nordestino, contribuindo para o aumento da umidade e para temperaturas mais amenas”, conclui.

Por:Leonardo Gottems/ Fonte: Agrolink