fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

Brasil prevê safra recorde de soja

por Guilherme Bezzarro



Imagem: Pixabay



O Brasil tem previsão de obter uma safra maior de soja este ano, enquanto uma ligeira queda é esperada na colheita da Argentina, de acordo com um relatório da União para a Promoção de Plantas de Óleo e Proteínas da Alemanha (UFOP) no início de fevereiro.

No entanto, os dois países devem manter suas participações no mercado global de soja nesta safra, segundo o relatório.

O Brasil deveria colher uma safra recorde de soja de 133 milhões de toneladas em 2020/21, de acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Isso representaria um aumento de 7 milhões de toneladas em relação ao ano anterior.

Atrasos de plantio no final de 2020 devido a secas também parecem afetar a colheita, embora o USDA tenha antecipado que provavelmente não levariam a reduções na produção.



O Brasil estava consolidando sua posição de liderança à frente dos EUA com base em uma expansão de 1,7 milhão de ha em área plantada, segundo o relatório.

A colheita de soja dos EUA de 113 milhões de toneladas - um aumento de 16 milhões de toneladas em relação ao ano anterior - foi concluída no início de novembro de 2020.

Na Argentina, com 48 milhões de toneladas, a safra era esperada para ser menor pelo segundo ano consecutivo devido às más condições climáticas. Consequentemente, esperava-se que a produtividade fosse menor, embora a área plantada permanecesse a mesma, de acordo com pesquisa da Agrarmarkt Informations-Gesellschaft (AMI).

Com base na pesquisa da AMI, a UFOP disse que o aumento da produção de soja no Brasil foi devido a uma expansão na área. Porém, por falta de dados estatísticos, a associação não conseguiu quantificar ou localizar as expansões.

O Brasil, os EUA e a Argentina são os maiores países produtores globais de soja, produzindo mais de 80% da soja mundial, de acordo com a UFOP.

Este texto foi traduzido automaticamente do inglês.

Fonte: OFI Magazine