fbpx
USD/BRL:
PT | EN | ES |      

China libera embarques de carne bovina do Brasil

por Eduardo Moreno

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Imagem: Pixabay

Informações recentes dão conta de que a China voltou a autorizar embarques de carne bovina certificada do Brasil nesta terça-feira. No entanto, essa medida vale para a carne certificada antes do embargo, realizado em 4 de setembro. 

O anuncio foi publicado nesta terça-feira (23/11) pela Administração Geral de Alfândegas da China (GACC) e, na visão da AgResource, a libração de novos lotes é uma questão de tempo. A China era o maior comprador do Brasil nesse quesito até que os embarques fossem suspensos no dia 4 de setembro, após dois casos atípicos de vaca louca terem sido notificados em Minas Gerais e Mato Grosso. A suspensão foi determinada pelo próprio governo brasileiro e atendeu a um protocolo sanitário firmado com a China, que prevê interrupção do comércio em caso de identificação da doença. 



Levando em consideração o país asiático, a China é o principal mercado brasileiro de carne bovina, comprando quase metade das cerca de 2 milhões toneladas de carne que o país exporta. Com o embargo, as exportações totais do Brasil da proteína caíram 43% em outubro, para 108,6 mil toneladas, na comparação com igual mês do ano passado, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

Ainda nessa semana surgiu a informação de que a Rússia teria autorizado a compra de carne de três empresas brasileiras, o que seria uma espécie de desafogo à paralização chinesa. Segundo reportagem da Agência Reuters, a Rússia planeja estabelecer uma cota de importação isenta de impostos para até 200.000 toneladas de carne bovina em 2022 para aumentar a oferta doméstica. O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina.

Por: Leonardo Gottems | Agrolink