Promip estende uso do Macromip Max para controle biológico do ácaro rajado no tomate

A Promip anunciou o lançamento do Macromip Max para o controle biológico do ácaro rajado em tomateiro. A solução reúne como agentes biológicos os ácaros predadores Phytoseiulus macropils (de cor avermelhada) e o Neoseiulus californicus (coloração amarelada).

De acordo com a fabricante, o que torna o ácaros predador Phytoselius macropilis mais eficiente é sua estrutura corporal, que permite uma rápida locomoção na planta de tomate. Com isso, o agente biológico vai ao encontro e alcança o alvo em qualquer lugar da folha para eliminá-lo. 

O ácaro rajado é a única fonte de alimentação deste predador, e o consome em todas as suas fases de desenvolvimento. De acordo com os testes, o Phytoselius macropilis pode comer até 40 ovos ou ninfas por dia sem produzir resíduos.

“Devido ao uso excessivo de acaricidas químicos, o ácaro rajado tornou-se resistente a diversas moléculas, o que dificulta o controle de pragas no cultivo de tomate. Neste sentido, o Macromip Max pode revolucionar o setor e melhorar a produtividade dos agricultores”, afirmou o CEO da Promip, Marcelo Poletti, à Revista Cultivar.

“Há anos o Macromip Max vem sendo comercializado pela Promip levando aos produtores um controle rápido e eficiente do ácaro rajado nas mais diversas culturas, como ornamentais, cultivos extensivos e hortaliças. Agora, a solução pode ser aplicada também ao tomate, o que irá revolucionar a produção do agricultor, aumentando a produtividade e atendendo ao desejo por uma agricultura mais sustentável”, conclui.

 

Fonte: Agrolink