Recebimento nacional de cacau recua 33,9% em agosto


Imagem: Pixabay

A Associação Nacional das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC) registrou queda de 33,9% no recebimento de amêndoas no mês de agosto. De acordo com o levantamento feito pelo SindiDados, as indústrias receberam 19.993 toneladas, ante as 30.271 toneladas de amêndoas recebidas em julho. Uma certa redução no volume já era esperada, uma vez que a safra temporã está chegando ao final e se encerra em setembro. “De forma geral, a safra temporã teve um desempenho melhor do que a safra principal, como já é de costume. Vale destacar que os números da Bahia neste temporão foram muito bons, mas com uma redução considerável dos recebimentos do Pará”, pondera Anna Paula Losi, diretora-executiva da AIPC.

De fato, durante os meses da safra temporã, as indústrias registraram um aumento de 22,1% no volume total de amêndoas recebidas em relação ao mesmo período de 2020. Entre maio e agosto, foram recebidas 111.503 toneladas de amêndoas, ante 91.299 toneladas registradas durante o mesmo período do ano passado. Boa parte desse crescimento foi puxado pela produção baiana, cujo recebimento cresceu 66,3% no período, passando de 47.343 toneladas em 2020 para 78.773 entre maio e agosto desse ano. No entanto, com o final da safra temporã, as perspectivas para a safra principal, que em geral é muito menor e que é colhida de outubro a abril, ainda são incertas. “Na melhor das hipóteses, o recebimento de amêndoas pela indústria moageira durante o período da safra principal ficará alinhado à média dos últimos cinco anos, ou seja, pouco mais de 65 mil toneladas, metade do volume médio que a indústria processa no mesmo período, que é de aproximadamente 130 mil toneladas”, diz Anna Paula Losi.

Acumulado do ano estável

Apesar da melhora do recebimento durante a safra temporã, no acumulado de janeiro a agosto, o volume recebido ficou praticamente estável em 132.680 toneladas, ante 131.071 mil toneladas do mesmo período de 2020. Entre os fatores que contribuíram para a estabilidade do volume recebido estão a queda no recebimento nacional entre janeiro e abril, período final da safra principal. Nos quatro primeiros meses do ano o recebimento nacional recuou 46,7% e ficou em 21.177 toneladas ante as 39.770 toneladas do mesmo período de 2020. Outro fator que contribuiu para o cenário de recebimento estável foi a queda no recebimento de amêndoas do Pará, que recuou 40% no acumulado entre janeiro e agosto, passando de 58.826 toneladas entregues às indústrias em 2020 para 35.538 toneladas em 2021.

{module Form RD}

Esses volumes ficaram bastante abaixo da capacidade de moagem da indústria, que é de 275 mil toneladas. De janeiro a agosto, as associadas da AIPC moeram 149.079 toneladas, volume 8,4% acima das 137.503 toneladas processadas no mesmo período de 2020. Assim, para atender à demanda dos clientes internacionais e compensar o déficit de amêndoas nacionais, as indústrias precisaram importar 5.750 toneladas de amêndoas durante agosto, de acordo com dados compilados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), a fim de complementar o volume processado e manter o parque fabril funcionando em níveis saudáveis.

Em agosto, as exportações de derivados de cacau cresceram 76,5% em relação a agosto de 2020, totalizando 6.580 toneladas. De janeiro a agosto, o setor soma embarques de 36.762 toneladas, uma alta de 16%. Em agosto, os principais países compradores foram Argentina (36,21%), Estados Unidos (34,11%) e Chile (16,37%).

Fonte: Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.