Redução do medo de gordura impulsiona crescimento do setor

Imagem: Pixabay


Um novo relatório afirma que os consumidores mais jovens estão perdendo o medo de engordar, informou o Food Business News em 17 de novembro.

O estudo de cinco anos da New Nutrition Business descobriu que os consumidores mais jovens estavam mais abertos à ideia de que a gordura não faz mal, com um número maior deles buscando comer gorduras mais saudáveis ​​em comparação com os consumidores mais velhos.

Na faixa de 35 a 44 anos, 34% disseram que gostariam de comer mais gordura, junto com 33% dos consumidores de 25 a 34 anos e 30% dos consumidores de 18 a 24 anos.

Isso em comparação com 24% dos consumidores com idades entre 45-54 e 23% daqueles com idades entre 55-64. Os grupos de idade mais avançada eram mais propensos a se lembrar do mantra “baixo teor de gordura é o melhor”.

“Quando as pessoas descobrem a gordura, há uma grande diferença de sabor”, disse o diretor da New Nutrition Business, Julian Mellentin.

“A gordura é amiga dos desenvolvedores do produto, melhorando a textura, sensação na boca, estrutura e teor de umidade. Em todas as categorias, com o passar do tempo, haverá menos motivos para produzir produtos com baixo teor de gordura. O desafio para as empresas é garantir que elas usem gorduras de boa qualidade onde possam apontar para uma fonte boa e natural. ”

{module Form RD}

O declínio do medo da gordura estava começando a remodelar as categorias, com as marcas se beneficiando da mudança de opinião dos consumidores, acrescentou.

As vendas de manteiga vêm crescendo há vários anos, impulsionadas pelo sabor e por reivindicações totalmente naturais, disse Mellentin.

A General Mills estava, por exemplo, apresentando o crème fraiche aos americanos com suas sobremesas em camadas Oui em sua linha Yoplait. O tratamento lácteo com alto teor de gordura era tradicionalmente usado em sobremesas francesas e culinária e era tipicamente 30% -45% de gordura do leite.

A crescente aceitação da gordura foi impulsionada em parte pelo surgimento de carboidratos e açúcares como os novos perigos dietéticos, disse o estudo.

Nos EUA, apenas 16% dos entrevistados disseram que a gordura é o nutriente com maior probabilidade de causar ganho de peso, em comparação com 48% que culpam os carboidratos e açúcares.

Os números foram uma reversão em relação a uma década atrás, quando 70% dos americanos disseram que estavam tentando reduzir o consumo de gordura.

Enquanto isso, as diretrizes dietéticas oficiais em quase todos os países ainda pedem aos consumidores que limitem a ingestão de gorduras saturadas, disse Mellentin.

“Mas um número cada vez maior de consumidores está se decidindo e abraçando a ideia de que gordura pode ser boa.”

Este texto foi traduzido automaticamente do inglês.

Fonte: OFI Internacional

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.