Regiões registram piora na situação hídrica para soja e milho

Imagem: Pixabay


No último relatório da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), algumas regiões produtoras de milho e soja registraram piora nas condições hídricas. Houve um aumento na quantidade de áreas onde há restrição hídrica moderada, particularmente no oeste do PR. Além disso, a grande região de Presidente Prudente no sudoeste de SP, também registra uma piora na situação hídrica em relação ao relatório anterior, tanto para a soja quanto para o milho. Por outro lado as condições sobre o oeste baiano, continuam apresentando excesso de chuvas, em decorrência da maior presença e frequência das instabilidades na região.

O que diz a Conab

Soja – 98% semeado. Em MT, a colheita começou na última semana, principalmente em áreas sob pivôs. As operações se intensificaram a partir da 2ª quinzena de janeiro. Na BA, semeadura finalizada, com lavouras em boas condições, mas há excesso de umidade no solo e alta nebulosidade. No RS, as altas temperaturas e escassez hídrica comprometem as plantas, que apresentam porte baixo e redução no número de vagens. Lavouras mais ao Sul estão em melhores condições. No PR, 43% das lavouras estão em condições médias ou ruins devido à falta de chuvas.

Milho – 90% semeado. No RS há registros de lavouras com falhas na polinização, formação de espigas chochas e grãos leves devido à restrição hídrica. No PR, a escassez hídrica afeta principalmente lavouras em fases reprodutivas, e há perspectiva de redução no rendimento. No MA a semeadura encontra-se atrasada, devido ao excesso de chuvas, e atinge 60% da área. Em GO, lavouras seguem em boas condições, com primeiras áreas ingressando à fase de enchimento de grãos. Na BA, as operações de semeadura estão em fase final. As lavouras estão em boas condições, sem danos significativos por excesso de umidade.

{module Form RD}

Projeção das Chuvas

A projeção para os próximos 7 dias indica que os maiores acumulados deverão ocorrer na parcela central de MG, superando em alguns pontos os 250 mm. Pontualmente sobre o MT, GO e PA os volumes também deverão ser expressivos, mas ressalta-se que essas chuvas mais intensas ocorrerão de forma esparsa.

A expectativa é de que no decorrer da semana haja a configuração de um novo episódio da Zona de convergência do Atlântico Sul (ZCAS) – um grande corredor de umidade ligando a região amazônica com o oceano – assim as chuvas vão continuar persistindo sobre grande parte da BA, onde o excesso de chuvas já influencia nas lavouras.

Por outro lado, na região sul e sul do MS, os volumes previstos são baixos – com áreas em que a previsão indica valores inferiores aos 5 mm – e irregulares. Podendo resultar em um agravamento do estresse hídrico.

Por: Aline Merladete | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.