Rússia suspende proibição da maior parte das exportações de diesel

Rússia suspende proibição da maior parte das exportações de diesel
Imagem: Pixabay

O governo da Rússia disse na sexta-feira que suspendeu a proibição das exportações de diesel por oleoduto via portos, removendo a maior parte das restrições instaladas em 21 de setembro. Assim, as restrições às exportações de gasolina ainda estão em vigor.

O diesel é o principal produto petrolífero exportado pela Rússia, com cerca de 35 milhões de toneladas exportadas no ano passado, das quais quase três quartos foram enviadas por oleodutos. No entanto, a Rússia também exportou 4,8 milhões de toneladas de gasolina em 2022.

“O governo suspendeu as restrições às exportações de combustível diesel. Isso inclui entrega aos portos marítimos por meio de dutos. A condição é que o fabricante forneça pelo menos 50% do combustível diesel produzido ao mercado interno”, conforme comunicado do governo.

A Rússia, o maior exportador de combustível marítimo, impôs restrições às exportações. Isso afetou os preços globais, levando compradores a buscar alternativas para gasolina e diesel.

Rússia muda o destino de suas exportações de combustíveis após proibição da União Europeia

Após a proibição da União Europeia de importar combustível russo devido à crise na Ucrânia, a Rússia alterou suas exportações. Nesse sentido, o diesel e outros combustíveis são direcionados para o Brasil, Turquia, países da África do Norte e Oeste, além dos países do Golfo no Oriente Médio.

Os países do Golfo, que têm suas próprias grandes refinarias, reexportam o combustível. Entretanto, a Rússia vem enfrentando escassez e altos preços de combustível nos últimos meses, o que prejudicou especialmente os agricultores durante a época de colheita.

“A decisão das autoridades ajudará a resolver ambos os problemas, mas não os resolverá completamente”, escreveu a corretora BCS, com sede em Moscou, em uma nota matinal.

Ainda esperamos mudanças tributárias em breve. Essas mudanças removerão oportunidades de arbitragem. Isso afetará os comerciantes independentes que lucram com exportações.

Na sexta-feira, o governo tomou medidas importantes. Primeiramente, aumentou o imposto de exportação de combustível para os revendedores, que não produzem o combustível, de 20.000 rublos para 50.000 rublos (495,63 dólares) por tonelada. Além disso, reinstalou subsídios para as refinarias de petróleo em sua totalidade, e essas mudanças entrarão em vigor a partir de 1º de outubro.

“O governo está reprimindo as tentativas dos revendedores de comprar combustível antecipadamente para posterior exportação quando as restrições atuais forem suspensas. Isso também os impede de exportar… combustível sob o disfarce de outros produtos”, disse.

Fonte: Vladimir Soldatkin | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.