Safrinha do milho corre riscos


Imagem: Pixabay


A safrinha de milho preocupa produtores pelo país. Com expectativa de chuva no último final de semana havia otimismo no Sul. Mas as precipitações vieram fracas ou nem vieram. A situação mais grave é observada no Paraná, segundo maior produtor nacional do grão, onde a frente fria não passou pelo estado e seguiu em direção ao Mato Grosso do Sul.

A situação também é critica no Oeste catarinense onde produtores necessitam de milho para garantir o suprimento das granjas de suínos e frangos. Os dois estados ainda sofrem com ataques da cigarrinha do milho que causou perdas na primeira safra. 

Segundo o Departamento de Economia Rural da Secretaria de Agricultura do Paraná (Deral) essa é uma fase crítica pra quem plantou mais tarde, pois a planta precisa de água para se desenvolver e há dias que a maioria dos municípios não registra chuva boa. Quem plantou em final de janeiro, início de fevereiro, ainda está em uma situação mais tranquila e não deve ter muita quebra, mas uns 60% das lavouras de milho da região Sudoeste devem ser afetadas de alguma forma pela estiagem.

{module Form RD}

Situação crítica também no vizinho Mato Grosso do Sul. O excesso e falta de chuvas atrasaram plantio, prejudicaram o desenvolvimento e devem impactar na produtividade. Conforme estimativa do Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga MS), com a finalização da semeadura, a projeção é colher 9,013 milhões de toneladas de milho. O número representa uma queda de 15% em relação a safra passada.

Segundo as informações de meteorologistas, uma nova frente poderá subir para o sul/sudeste no próximo dia 3 de maio. Antes disso está prevista a entrada de uma onda de frio. Se houver incidência de geadas a cultura pode se ainda mais prejudicada. 

Por outro lado o clima favorece produtores do Norte/Nordeste e Matopiba. As chuvas vindas da Amazônia, que se juntaram às frentes vindas do Atlântico, trouxeram umidade e chuvas numa extensa região agrícola do país. A abertura do tempo está permitindo que os produtores do centro-norte colham uma das melhores safras de todos os tempos.

Por: Eliza Maliszewski | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.