Setor de proteína animal do RS apresenta demandas ao governo



Imagem: Pixabay


O setor de proteína animal apresentou hoje ao governo gaúcho os principais desafios do setor. Durante café da manhã, o governador em exercício, Gabriel Souza, acompanhado dos secretários da Agricultura, do Meio Ambiente, do Desenvolvimento Rural, do Desenvolvimento Econômico, da Casa Civil e do subsecretário da Receita Estadual, afirmou que “é desejo do governo atuar não só no acolhimento das pautas domésticas, mas também em assuntos exógenos ao estado, em especial na questão de abertura de novos mercados”.

O presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS, Rogério Kerber, foi o primeiro a falar. Ele pontuou que o Rio Grande do Sul tem status sanitário invejável e que o setor deposita expectativas relacionadas a abertura de mercados, justamente pela conquista da certificação internacional de área livre de febre aftosa sem vacinação, obtida em maio de 2021. Kerber também citou os principais gargalos do setor, como o abastecimento de milho, tema que foi abordado também por outras lideranças, como o presidente do Sindicado das Indústrias de Produtos Suínos do RS, José Roberto Goulart. Ele afirmou que o estado perde muitas divisas quando precisa importar milho de outras regiões ou países.

{module Form RD}

O presidente da Associação Gaúcha de Avicultura, José Eduardo Santos pontuou a importância de avançar em questões tributárias para o setor e pela manutenção do diferimento que a atividade possui. O presidente da Associação dos Criadores de Suínos do RS,Valdecir Folador, destacou a importância dos suinocultores independentes e entregou um documento solicitando a isenção da alíquota de ICMS sobre as vendas interestaduais de suínos vivos, que só em 2022 representou mais de R$ 11 milhões. O vice-presidente do Sindicato das Indústrias de Carnes do RS, Alvaro Provin, pontuou a necessidade de o estado contribuir na divulgação dos atributos da carne bovina gaúcha, para promover o aumento de consumo e a conquista de mercados. O setor de lácteos também apresentou as demandas através do Sindilat e da Apil. A Organização das Cooperativas do RS, também fez referência às dificuldades do setor leiteiro, e o presidente do Conselho de Agronegócios da Federação das Indústrias do RS entregou documento com análise da necessidade de irrigação para o milho no estado e proposta de soluções mais efetivas para a questão da irrigação.

Questões tributárias, de mercado e a necessidade de pensar em medidas preventivas para a estiagem, que atinge o estado pelo terceiro ano consecutivo foram os principais temas abordados. Gabriel Souza comprometeu-se em receber, junto aos secretários envolvidos, as demandas mais detalhadas de cada setor. Sobre a estiagem, garantiu que a questão da reservação de água trata-se de uma prioridade do governo. “Vamos ter que acelerar a política de reservação de água do RS, talvez até com alguma mudança legislativa”, afirmou.

Fonte: Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.