Sindiveg alerta para prejuízos com uso de defensivos sem registro

Imagem: Pixabay

Os defensivos agrícolas são importantes soluções para proteger os cultivos agrícolas contra o ataque de insetos, plantas daninhas e fungos, entre outros problemas, que prejudicam a produtividade e podem colocar em risco o abastecimento de alimentos para a população. Contudo, o agricultor precisa estar atento às indicações de uso desses insumos. Afinal, aplicar um produto não registrado para ela pode acabar prejudicando o resultado da lavoura, comprometendo o resultado econômico do negócio.

“Os defensivos agrícolas requerem muita atenção e cuidado no planejamento das aplicações. Quando fazemos uso de produtos não registrados, estamos colocando em risco a flora, a fauna e os ecossistemas da região”, afirma Cleber Brandino, engenheiro agrônomo de empresa associada ao Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg).

Esse risco, explica o especialista, acontece porque os produtos possuem indicações de uso bastante específicas, com eficácia comprovada após um longo período de validação científica e registro pelos órgãos reguladores como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Usados corretamente conforme aprovado pelos órgãos reguladores, os produtos são seguros e eficazes. O uso incorreto dos insumos agrícolas pode até envolver risco de intoxicação de trabalhadores, moradores e produtores, contaminação da água de abastecimento e dos alimentos, prejudicando a saúde das pessoas. Por isso, é extremamente importante ser rigoroso com a prescrição da bula dos produtos e o receituário agronômico. Somente dessa forma evitamos que a aplicação incorreta prejudique a produção e, consequentemente, comprometa a oferta de alimentos”, diz Brandino.

{module Form RD}

O resultado econômico é afetado por alguns fatores. Em primeiro lugar, porque usando os defensivos de forma errada o agricultor acaba gastando mais do que o necessário com a aquisição desses insumos. Em segundo lugar, porque o uso incorreto prejudica a eficiência do produto. Por isso, é indispensável contar com o acompanhamento de um engenheiro agrônomo nas propriedades rurais.

“Para evitar prejuízos, o agricultor pode consultar a relação de produtos registrados e seus usos autorizados, no sistema Agrofit do Mapa”, alerta o agrônomo. Informações técnicas do produto também podem ser conferidas em bula. É essencial estar atento ao uso correto dos insumos. Utilizar produtos sem registro adequado é crime.

“O artigo 84 do Decreto Federal 4.074/2002, que regulamenta a Lei Federal 7.802/1989, determina que o produtor é o responsável civil, penal e administrativo dos danos causados à saúde dos consumidores e do meio ambiente quando utiliza defensivos em desacordo com as especificações do registro do produto. Além disso, os órgãos fiscalizadores podem determinar a destruição da cultura em que houve uma aplicação irregular. O assunto é sério”, finaliza Brandino.

Certificar-se de que os defensivos agrícolas estão devidamente registrados e recomendados para determinadas culturas é uma das “Regras de ouro para o uso de defensivos agrícolas”, conteúdo elaborado pelo Sindiveg para orientar os agricultores sobre o uso correto e seguro dos insumos. A entidade também oferece treinamento online, gratuito e com certificado para os interessados em saber mais sobre a importância e o uso inadequado dos defensivos. Ambos os conteúdos estão disponíveis em www.sindiveg.org.br.

Fonte: DATAGRO

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.