Soja tem chance de voltar aos R$ 80?

Após o terceiro recuo consecutivo nos preços da soja, a pergunta é: quais as chances da oleaginosa voltar a subir? Poderia chegar ao tão sonhado nível de R$ 80,00 no interior? Quem responde é o especialista em mercado Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica.

“Realmente, os preços estão quase lá, assim como quase chegaram a R$ 95,00 em 2016 e a R$ 85,00 em 2018 e…deram a volta pra trás, fazendo muitos agricultores perderem chances a R$ 92,00 e R$ 82,00, respectivamente, para venderem a preços de R$ 67,00 e R$ 56,00, depois. Não estamos dizendo que é a mesma situação, mas, vejamos: dos três fatores que compõe o preço da soja no Brasil, dois praticamente se anulam e um tem forte tendência de baixa”, explica.

De acordo com ele, os fatores que se anulam são, de um lado, Chicago – que poderá subir se o presidente norte-americano Donald Trump acertar com os chineses, ou mesmo se a safra americana for reduzida: “O que ainda é uma incógnita que só será desvendada na próxima sexta-feira, dia 28, com o relatório oficial do USDA sobre a área plantada da safra 2018/19”, aponta. 

Pacheco aponta ainda como fator baixista os prêmios: “Que cairão ainda mais se Chicago subir, porque que já caíram na prática em relação ao mês passado, por exemplo. Por outro lado, o Dólar tem tendência forte de continuar caindo a curto, médio e principalmente a longo prazo, à medida que o governo conseguir implantar a reforma da Previdência e se o Trump se acertar com os chineses. A moeda americana corresponde mais ou menos a 35% do preço da soja no Brasil, então pesa muito e também poderá anular ou limitar qualquer tentativa de alta por parte de Chicago ou do prêmio”.

O analista da T&F ressalta ainda uma oportunidade que o Dólar futuro oferece. “Para março/20, fechou [na sexta-feira] a R$ 3,90, quando todos os 100 economistas consultados pelo Banco Central para seu Relatório Focus acreditam que estará a não mais do que R$ 3,75/US$ no mesmo mês. Isto é uma diferença nada desprezível de 3,84% que corresponde a mais ou menos R$ 3,00/saca. Então, nossa recomendação seria a de fixar parte de suas intenções de exportação no dólar atual para maio/20”, sugere. 

Ele adverte, porém, que não se trata de “fixar e esquecer: tem que acompanhar diariamente, porque, se a posição reverter, você terá chance de corrigir. Então, não vemos como os preços subirem muito mais do que os níveis em que estão. Não estamos dizendo que não poderão subir, porque há, sim, algumas possibilidades de alta. Sabem quando? Quando tanto Chicago, quanto o dólar derem uma esticada rápida pra cima, que o mercado chama de rally e que dura alguns minutos apenas em determinados dias bem específicos”. 

“Nossa recomendação é que os agricultores já deixem autorizações junto à sua cooperativa ou cerealista para fecharem quando chegar nestes níveis, porque não haverá tempo hábil de eles telefonarem pra todo mundo para colherem estas autorizações. E não aposte tudo nisto, porque se não chegar, sua frustração será maior do que se chegar e você não tiver mais produto”, conclui.

Postagem: Marina Carvejani
Autor: Leonardo Gottems
Fonte: AGROLINK

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.