Ubrabio se posiciona sobre resolução do CNPE que mantém mistura do biodiesel de 10% até março de 2023




Imagem: Pixabay


Veja a nota sobre a resolução do CNPE que mantém mistura do biodiesel de 10% até março de 2023:

A União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio) recebeu com serenidade a publicação do despacho da Presidência da República que trata da resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), publicada nesta sexta-feira, 25 de novembro.

O despacho da Presidência traz boas e más notícias. A primeira delas é o acolhimento parcial das reivindicações do setor relacionadas à não inclusão do diesel coprocessado no mandato de biodiesel. Nosso entendimento sempre foi o de que o diesel coprocessado, também chamado de H-Bio ou diesel RX, comercializado no Brasil pela Petrobras, não pode receber o mesmo tratamento dos biocombustíveis por ser justamente um combustível majoritariamente fóssil, com uma parte renovável igual ou inferior a 5% — número esse que ainda é contestável.

{module Form RD}

A introdução de um combustível de matriz fóssil no mandato de biodiesel, como quer a Petrobras, seria um retrocesso enorme não só para o setor de biocombustíveis, mas para o país. Prejuízo maior à sociedade e à biodiversidade seria acolher a demanda da Petrobras, que pede para que o diesel RX seja elegível para emissão de créditos de descarbonização no âmbito do RenovaBio, o que é uma incoerência por si só.
Portanto, a Ubrabio parabeniza a Presidência da República pela sensibilidade em ter vetado integralmente esse acolhimento que pedia a introdução dessa rota dentro do mandato.
De ponto negativo, lamentamos, no entanto, a manutenção da mistura em 10% de biodiesel ao diesel nos meses de janeiro a março de 2023, decisão que já havia sido contestada pela Ubrabio anteriormente. Nós, como setor, entendemos que não faz sentido manter a mistura em 10% quando já há condições de aumentar a produção, sobretudo por conta da previsão de supersafra de soja que será colhida no próximo ano, estimada em 150 milhões de toneladas.

Dessa forma, reforçamos que Ubrabio e as demais entidades que compõem a Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FPBio) irão continuar discutindo com o governo atual e a equipe de transição do governo eleito para que retorne a curva de aumento da mistura o quanto antes. Defenderemos, inclusive, a revogação da medida que estabelece o B10 para os meses de janeiro a março, bem como a introdução de um calendário de aumento dessa mistura, de modo a proporcionar ao mercado e à sociedade previsibilidade e segurança jurídica.

O setor está preparado para produzir 14% e entendemos que precisamos, o quanto antes, criar um cronograma para que se avance nessa mistura, o que só irá beneficiar a sociedade.

Nossa mensagem é no sentido de demonstrar aos poderes constituídos que o biodiesel não é meramente um biocombustível. O biodiesel traz vantagens ambientais, com redução das emissões de carbono; econômicas, com fortalecimento da agroindústria e regionalização da produção; e sociais, com incentivo à geração empregos na agricultura familiar. O biodiesel é também um aliado na proteção da saúde pública, já que mais biodiesel significa um menor consumo de diesel fóssil, combustível que emite poluentes e que causa inúmeros prejuízos para a saúde pública com internações hospitalares e afastamentos no trabalho.

Por fim, a Ubrabio reforça que sua maior força é o diálogo, que continuará sendo nossa ferramenta de trabalho seja com o governo em exercício, seja com a equipe de transição do governo eleito.

Fonte: Notícias Agrícolas

{module 441}

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.