Vendas de trigo na Argentina ficam mais lentas com agricultores à espera de eleições e chuvas

Vendas de trigo na Argentina ficam mais lentas com agricultores à espera de eleições e chuvas
Imagem: Pixabay

As vendas da próxima safra de trigo da Argentina estão no rimto mais lento em sete anos, atrasadas pelos agricultores que aguardam chuvas mais fortes e apostam no resultado da eleição presidencial de 22 de outubro no país, com alguns candidatos prometendo cortes de impostos sobre as exportações de grãos.

A Argentina, um grande exportador de trigo, juntamente com soja e milho, registrou apenas 1,51 milhão de toneladas de pré-vendas da próxima safra 2023/24 até 13 de setembro, segundo os últimos dados do governo divulgados esta semana, o ritmo mais lento desde 2016/17 e uma queda acentuada em relação aos últimos anos.

Esse número se compara às 5,28 milhões de toneladas registradas quase na mesma data de 2022/23, de acordo com a secretaria de agricultura.

“As baixas vendas se devem em parte à incerteza política em relação ao novo governo”, disse Miguel Cane, presidente da câmara de grãos ArgenTrigo. Um novo governo tomará posse em dezembro, com três candidatos principais disputando a vitória.

“Há especulações de que os impostos podem ser um pouco reduzidos para a época da colheita”, acrescentou Cane. Dois dos três principais candidatos à presidência se comprometeram a eliminar as tarifas de exportação de trigo, atualmente fixadas em 12%.

São eles a conservadora Patricia Bullrich e o “outsider” libertário Javier Milei, atualmente na liderança. Eles enfrentam o chefe de economia do partido governista, Sergio Massa, que não fez tal promessa.

A Bolsa de Cereais de Buenos Aires prevê uma safra de trigo de 2023/24 de 16,5 milhões de toneladas, acima da safra anterior, atingida pela seca, mas abaixo do pico de 22,4 milhões de toneladas em 2021/22.

Clima em jogo nas vendas de trigo

O outro fator que está segurando as vendas de trigo é o clima, depois que uma seca histórica prejudicou as colheitas no ano passado. O padrão climático El Niño trouxe um clima mais úmido. No entanto, ainda há áreas de trigo que necessitam de mais água. As chuvas são esperadas para outubro.

Roberto Frigo é o presidente de uma cooperativa agrícola em Rosario de Tala, uma cidade produtora de trigo. No ano passado, alguns agricultores fizeram vendas antecipadas, mas enfrentaram dificuldades quando a seca afetou as colheitas. Eles não puderam cumprir suas obrigações.

“Há muita expectativa sobre o que vai acontecer com o clima”, disse ele. “Você pode ficar preso em um acordo de venda antecipada e não conseguir cumpri-lo.”

De acordo com Frigo, o estado das plantas é misto no centro da província de Entre Rios, onde fica Rosario de Tala, com áreas de plantações em boas condições e outras que precisam de água.

Cane concordou que, juntamente com a queda nos preços internacionais do trigo em comparação com a temporada passada, a incerteza climática está pesando sobre os agricultores enquanto eles esperam por chuvas mais fortes.

Um relatório divulgado na quarta-feira pela Bolsa de Cereais de Rosário disse que chuvas mais fortes só podem chegar “nos últimos dias de setembro ou nos primeiros dias de outubro”

Enquanto isso, fazendeiros como Frigo adiam as vendas.

“Há áreas de terra que ainda são complicadas”, disse ele. “É por isso que estamos aguardando a colheita real e também a posse do novo governo. Ambas as coisas.”

Fonte: Maximilian Heath | Notícias Agrícolas

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.