Argentina espera recomposição do estoque bovino e aumento das exportações nos próximos meses

A seca apresenta desafios à produção de gado na Argentina, contudo, a chegada do El Niño traz otimismo para as exportações de carne bovina.
Imagem: Pixabay

Nos últimos três anos, a Argentina enfrentou uma séria crise devido à seca intensa, que afetou significativamente a produção de gado.

No entanto, uma notícia esperançosa surge no horizonte, com a expectativa de que o El Niño traga alívio à situação. Espera-se que as chuvas acima da média auxiliem na recuperação das pastagens, viabilizando a recomposição dos rebanhos locais.

Ademais, devido à recuperação das pastagens, o USDA prevê um abate de 13,4 milhões de cabeças em 2024, em linha com a média de 2018 a 2022. Isso representa uma queda de 900 mil cabeças em relação ao ano de 2023, que está sendo marcado por desafios climáticos e econômicos.

O impacto da inflação e das mudanças políticas na exportação de carne bovina

“Paralelamente ao poder de compra corroído pela inflação, a queda de quase 30% no preço de exportação à China e o clima seco, que forçou a venda de vacas vazias e bezerros de baixo peso, ajudaram a deprimir os preços dos bezerros e gado no primeiro semestre. As expectativas de melhora climática e de mudança no ambiente político trouxeram um aumento no preço do gado em agosto”, pontua análise da DATAGRO Pecuária.

As expectativas de uma melhoria nas condições climáticas e possíveis mudanças no ambiente político impulsionaram um aumento nos preços do gado neste mês. No entanto, o futuro político ainda é incerto, com duas das principais campanhas políticas prometendo alterações no controle das exportações e melhorias na taxa de câmbio, o que poderia afetar os preços internos e a disponibilidade de gado para abate.

“Ainda em 2023, a tendência para a carne bovina é de que o consumo per capita interno aumente, pois o grande abate de gado não é sustentado pelas exportações. Isto torna os preços internos da carne bovina competitivos em relação à carne de suína e de aves. Contudo, para 2024, a expectativa de menor produção de carne bovina e melhorias na exportação podem inverter esse cenário”, avalia a DATAGRO Pecuária.

Fonte: Datagro

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.