Clima segue impactando a soja

Clima segue impactando a soja
Imagem: Adobe Stock

Conforme o mais recente Boletim Semanal da Conab, o cenário agrícola brasileiro está atravessando um período crítico, caracterizado por condições climáticas desafiadoras em várias regiões. A irregularidade das chuvas, associada a temperaturas elevadas em fases iniciais do ciclo, têm impactado significativamente o desenvolvimento das lavouras de soja.

Em Mato Grosso, observa-se a finalização do plantio. No entanto, a irregularidade das precipitações tem sido um fator preponderante, afetando o desenvolvimento das lavouras em diferentes regiões. O cenário exige uma vigilância constante e possíveis ajustes nas práticas agrícolas para mitigar os efeitos adversos.

Em Goiás, após um período de pausa, o plantio foi retomado devido ao retorno das chuvas. A região experimenta um replantio generalizado, mas as áreas de sequeiro mostram uma melhora significativa com o retorno das precipitações.

No estado do Mato Grosso do Sul, a conjunção de chuvas e baixas temperaturas resultou em benefícios para as plantações. Entretanto, há evidências de uma redução no ciclo vegetativo, com plantas de menor estatura já iniciando o processo de florescimento.

No Rio Grande do Sul, as constantes chuvas e elevada umidade do solo estão impactando negativamente o progresso da área plantada. As fortes chuvas têm causado erosão do solo, perda de nutrientes e de sementes, um fator preocupante que requer atenção especial para a recuperação e proteção dos solos.

Tendências climáticas na agricultura brasileira: Avanços e desafios em diferentes regiões do país

No Paraná, condições climáticas mais secas têm sido benéficas, contribuindo para a evolução da semeadura e dos tratos culturais. Essa condição se destaca como um aspecto positivo no contexto geral.

Em Minas Gerais, o plantio foi retomado após o retorno das chuvas. No entanto, a redução da população de plantas em várias regiões, atribuída às altas temperaturas e à baixa umidade do solo, é uma questão preocupante.

Na Bahia, as chuvas têm favorecido a semeadura, mas há falhas na germinação e necessidade de replantio em algumas áreas do Oeste, o que demanda atenção e gestão cuidadosa.

No Maranhão, o retorno das chuvas permitiu um avanço maior na área semeada na região de Balsas, marcando um desenvolvimento promissor para esta fase do ciclo agrícola.

No Piauí, chuvas mais volumosas estão criando condições mais favoráveis para o plantio e desenvolvimento inicial das lavouras, um sinal positivo para a produção agrícola da região.

Finalmente, no Pará, a irregularidade das chuvas está causando atrasos no plantio nas regiões Sudoeste e Sudeste, com necessidade de replantio em algumas áreas.

Progresso da safra de soja

O início da safra da soja, vem sendo marcada por irregularidades, refletido em um atraso no avanço do plantio em praticamente todos os estados produtores do país.Nos 12 estados monitorados, o avanço registra 75,2%, em comparação com os 86,1% registrados no mesmo período do ano anterior. Uma defasagem de 10,9% no andamento da safra.

Os atrasos foram mais significativos em estados como Mato Grosso no começo da temporada, se estabilizando nas últimas semanas. O mesmo é observado no Piauí, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

Progresso da semeadura de soja

  • Em Tocantins, o progresso da safra está ligeiramente atrás do ano anterior, mas a semana passada mostrou uma melhora de 5%.
  • O Maranhão, por sua vez, ainda está bem atrás do ritmo do ano passado, mas a recuperação de 19% na última semana.
  • No Piauí, observa-se um atraso significativo em relação ao ano anterior. Entretanto, destaca-se a recuperação de 28% na última semana, sinalizando uma possível virada positiva.
  • Na Bahia, embora persista o atraso comparativo com a safra passada, registrou-se uma notável melhoria de 30 para 55% na área plantada durante a última semana.
  • O Mato Grosso, estado crucial na produção agrícola, segue quase em paridade com o progresso do ano anterior, porém com leve atraso. A semana recente indicou um aumento estável.
  • Mato Grosso do Sul, embora ligeiramente atrás do ano passado, também está mostrando sinais de recuperação consistente.
  • Goiás e Minas Gerais estão enfrentando atrasos mais significativos em relação ao ano passado, mas ambos os estados registraram aumentos robustos na última semana, um indício de que as condições podem estar melhorando.
  • São Paulo, mantendo-se próximo ao ritmo do ano passado, e Paraná, mostrando um ligeiro avanço, refletem uma situação mais estável em comparação com outras regiões.
    Santa Catarina e Rio Grande do Sul, apesar de ainda estarem atrasados em relação ao ano anterior, mostraram melhorias na última semana, indicando esforços contínuos para superar os desafios climáticos e outros fatores adversos.

Fonte: Gabriel Rodrigues e Aline Merladete | Agrolink

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.