Preços do suíno vivo sobem; em MG, chega a R$ 5

Os preços do suíno vivo subiram nos estados produtores, de acordo com dados das associações regionais. A valorização nos últimos dias aproximou o quilo do suíno dos R$ 5 em vários estados. Em Minas Gerais, o valor do animal vivo chegou a R$ 5, em alta de 11,1%. O menor preço é no Mato Grosso, onde o valor do suíno vivo permanece em R$ 3,65.

A maior valorização do suíno vivo ocorreu em Santa Catarina, no intervalo entre 8 e 24 de maio. O preço do quilo passou de R$ 4,12 a R$ 4,41, o que representou avanço de 7,04%, conforme dados da Associação Catarinense dos Criadores de Suínos (ACCS). Em São Paulo, no mesmo período, valor passou de R$ 4,53 para R$ 4,80. Com isso, a alta foi de 5,96% , aponta a Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS).

Houve valorização significativa também no Distrito Federal, onde o preço do quilo era R$ 4,26 e chegou a R$ 4,53 nesta semana. As informações são da DF-Suin. Em Goiás, o avanço no preço foi menor, com o suíno passando de R$ 4,40 para R$ 4,50, em alta de 2,27%, conforme a Associação Goiana de Suinocultores (AGS).

O preço do suíno vivo no Paraná e no Rio Grande do Sul chegou a R$ 4,35 nesta semana. No primeiro estado, houve valorização de 4,35%, uma vez que o quilo estava custando R$ 4,15 no dia 8 de maio, aponta a Associação Paranaense de Suinocultura (APS). Já no segundo, conforme a Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), o preço teve valorização de 3,08% sobre os R$ 4,22 anteriores.

Minas Gerais é o estado em que o preço do quilo chegou ao maior patamar. Nesta semana, conforme a Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg) fechou a bolsa de suínos a R$ 5. Houve valorização de 11,11%, no comparativo entre o dia 8, quando o animal vivo era comercializado a R$ 4,50, e o dia 23.

Já no Mato Grosso, o preço médio permanece em R$ 3,65, conforme a Associação dos Criadores de Suínos (Acrismat). No entanto, segundo o presidente da entidade, Itamar Canossa, os preços podem chegar a R$ 4 em algumas regiões do estado. Os preços menores em relação aos demais estados, ele aponta, se devem ao transporte. “Em geral, os preços no Mato Grosso são até um real menores que nos outros estados”, aponta.

Post | Marina Carvejani 
Author | AGROLINK
Source | AGROLINK

Facebook
twitter
LinkedIn

Aboissa supports

Stay up to date with news
and the best opportunities in
agribusiness – sign up now!

Asia

Saudi Arabia

Bangladesh

China

singapore

South Korea

United Arab Emirates

Philippines

India

Indonesia

Iraq

Jordan

Lebanon

Malaysia

Oman

qatar

Türkiye

Vietnam

Hong Kong

America

Argentina

Bolivia

Brazil

Canada

Chile

Colombia

Ecuador

U.S

Guatemala

british virgin islands

Mexico

Nicaragua

Panama

Paraguay

Peru

Uruguay

Suriname

Venezuela

Dominican Republic

Costa Rica

Africa

South Africa

Algeria

Cameroon

Costa do Marfim

Egypt

Liberia

Morocco

Sierra Leone

Sudan

Kenya

Tunisia

Mauricio Islands

Europe

Albania

Germany

Belgium

Bulgaria

Spain

Finland

France

England

Italy

Lithuania

Poland

Portugal

Russia

Türkiye

Serbia

Sweden

Switzerland

Ukraine

Cyprus

Estonia

Ireland

Romania

Oceania

Australia

New Zealand

Request a quote!

Fill out the form and get support for your business needs.
Our experts are ready to offer customized solutions.

*We are currently not working with intermediaries.

By providing my data, I agree with the Privacy Policy.