Tendências do mercado de alimentos naturais e perspectivas para a linhaça no Brasil e Europa

Tendências do mercado de alimentos naturais e perspectivas para a linhaça no Brasil e Europa
Imagem: Adobe Stock

O mercado de alimentos naturais no Brasil experimentou um notável crescimento de aproximadamente 98% nos últimos anos e continua a evoluir. O relatório “Brasil Food Trends” apresenta dados intrigantes sobre as características mais valorizadas pelos novos consumidores em relação à saúde em seus alimentos:

  • Produtos que promovem o desempenho físico e mental.
  • Produtos que beneficiam a saúde cardiovascular.
  • Produtos que contribuem para a saúde gastrointestinal.
  • Produtos adequados para dietas específicas, restritivas ou alergias alimentares.
  • Produtos com aditivos e ingredientes naturais.
  • Produtos funcionais, com maior valor nutricional para o organismo.
  • Produtos isentos ou com teor reduzido de sal, açúcar ou gorduras.
  • Produtos orgânicos.
  • Produtos minimamente processados.

Dessa forma, é possível incorporar várias tendências alimentares, como veganismo, vegetarianismo, produtos orgânicos, alimentos funcionais, sem lactose ou glúten, entre outras, na fabricação de produtos fitness. Como mencionado anteriormente, a linhaça é um alimento extremamente nutritivo e continua atraindo a atenção da indústria de alimentos saudáveis, que está em constante crescimento. Para ilustrar, 4 em cada 5 brasileiros estão dispostos a pagar mais por alimentos mais nutritivos; 79% dos entrevistados substituem produtos industrializados por alternativas mais saudáveis; 44% dos entrevistados preferem produtos sem corantes artificiais, e 24% dos adultos brasileiros entrevistados aumentaram o consumo de grãos integrais de alta complexidade após aprenderem como incorporá-los em sua dieta diária.

Tendências e desafios na indústria da linhaça: Uma análise detalhada

A última safra de linhaça foi excepcional, e atualmente, há uma oferta abundante desse produto na Europa. Como mencionado anteriormente, a crise econômica global não afetou tanto o setor de “healthy food”, que se mantém resiliente. Por outro lado, o setor da indústria química viu uma drástica redução no consumo. Como toda ação tem uma reação, os agricultores enfrentaram grandes prejuízos nesta temporada. Devido à queda nos preços e ao baixo volume de vendas, eles reduziram significativamente o plantio para a próxima safra (23/24), diminuindo em cerca de 25% no Cazaquistão. Agora, o hemisfério norte está enfrentando uma forte onda de calor e seca, que deve afetar negativamente o rendimento daquilo que foi plantado. Portanto, podemos concluir que os preços da linhaça provavelmente voltarão a subir. Atualmente, o preço do óleo de linhaça refinado é cotado a USD 1.315/MT CIF em Santos, a granel.

Por: Maria Thereza | Broker da unidade Oleochemical Products

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.