SAF: “O Brasil tem a oportunidade de liderar esse processo, produzindo mais de 50 bilhões de litros”, destaca presidente da Airbus no Brasil

SAF: "O Brasil tem a oportunidade de liderar esse processo, produzindo mais de 50 bilhões de litros", destaca presidente da Airbus no Brasil
Imagem: Pixabay

Na última quarta-feira (29), Gilberto Peralta, presidente da Airbus no Brasil, disse que o País pode se tornar a “Arábia Saudita” para os combustíveis de aviação.

De acordo com Peralta, o grande dilema atual é a substituição dos combustíveis fósseis nos aviões por matrizes energéticas renováveis – a busca é pela troca do querosene por algo mais “verde”.

“O mundo discute a sustentabilidade e a substituição dos combustíveis fósseis por uma fonte renovável nas aeronaves. Essa mudança na matriz passa pelo agronegócio. É ele quem vai produzir o novo combustível que irá mover a aviação mundial. E o lugar mais propenso para isso no mundo é o Mato Grosso […] o Brasil pode se tornar a Arábia Saudita do combustível para aviação”, destacou Peralta, então, em evento em Sinop (MT).

O presidente da Airbus no Brasil explica que não importa qual seja a matéria-prima desse combustível, ele deve ser uniforme, tendo a mesma composição, para que assim possa mover os motores e turbinas de aviões sem qualquer necessidade de ajuste ou adequação.

A transformação do carbono agrícola em SAF

“A premissa da aviação é a segurança. Deve-se validar e regular tudo em dobro. O novo combustível será renovável, originando-se de uma fonte distinta. No entanto, na prática, será idêntico ao querosene, queimando de maneira semelhante, mantendo propriedades e segurança inalteradas, conforme enfatizado.

Segundo ele, o que o agronegócio vai plantar, colher e fornecer para a aviação é o carbono. A base poderá vir dos óleos vegetais, da gordura animal ou da madeira. Para transformar o carbono produzido pelo setor agrícola em combustível de aviação, é necessário, então, adicionar hidrogênio, que pode ser extraído do ar em usinas fotovoltaicas. A proporção é de duas partes de gás para uma parte de carbono.

Peralta resumiu que o SAF (Sustainable Aviation Fuel) é o combustível sustentável para aviação. Ele tem a mesma composição do querosene, mas provém de uma fonte renovável. “Acredito que em breve esses projetos irão ganhar escala e proporção industrial, substituindo o combustível para aviação.” O Brasil tem a oportunidade de liderar esse processo, produzindo mais de 50 bilhões de litros de combustível para o mundo. Vejo Mato Grosso e, nesse caso Sinop, com um papel fundamental, em razão do que tem feito o agronegócio”, complementou.

Fonte: Datagro

Facebook
Twitter
LinkedIn

Aboissa apoia

Fique por dentro das novidades
e melhores oportunidades do
agronegócio – inscreva-se já!

Ásia

Arábia Saudita

Bangladesh

China

Singapura

Coréia do Sul

Emirados Árabes Unidos

Filipinas

Índia

Indonésia

Iraque

Jordânia

Líbano

Malásia

Omã

Qatar

Turquia

Vietnã

Hong Kong

América

Argentina

Bolívia

Brasil

Canadá

Chile

Colômbia

Equador

Estados Unidos

Guatemala

Ilhas Virgens Britânicas

México

Nicarágua

Panamá

Paraguai

Perú

Uruguai

Suriname

Venezuela

República Dominicana

Costa Rica

Cuba

África

África do Sul

Argélia

Camarões

Costa do Marfim

Egito

Libéria

Marrocos

Serra Leoa

Sudão

Quênia

Tunísia

Ilhas Maurício

Europa

Albânia

Alemanha

Bélgica

Bulgária

Espanha

Finlândia

França

Inglaterra

Italia

Lituânia

Polônia

Portugal

Rússia

Turquia

Sérvia

Suécia

Suíça

Ucrânia

Chipre

Estônia

Irlanda

Romênia

Oceania

Austrália

Nova Zelândia

Solicite uma cotação!

Preencha o formulário e obtenha atendimento para suas necessidades comerciais.
Nossos especialistas estão prontos para oferecer soluções personalizadas.

*No momento não estamos trabalhando com intermediários.

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.